sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Presidente nacional da A.N.B.A.

Comendador De Luna Freire - Presidente nacional da ANBA - recebe o diploma ea Medalha Legislativa Municipal do Mérito José Clemente Pereira Em reconhecimento à participação no engrandecimento sócio cultural, expressa pelo notório saber no ramo de sua atividade, promovendo o continuado progresso da cidade de Niterói-Vereador Renatinho Medalha Grã-Cruz ABD Grã-Colar de Ouro AFBA Voto de Louvor e Reconhecimento do Condado de La Orotava - Espanhã em reconhecimento e notoriedade aos relevantes serviços prestados as causas sociais, acadêmicas e culturais, em defesa da paz, da moral, da boa ética, da família na preservação da vida e da fé cristã, confirmando o merecimento desta congratulação de Louvor.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

I Salão de Artes e Poesias - ANBA

Artistas de Amparo ganham medalhas de Ouro e Prata em Niterói - RJ O artista plástico Carlos Martins e o poeta/compositor Álvaro Luiz Cardoso tiveram novamente suas obras premiadas em Niterói – RJ, agora contemplados com Medalhas de Ouro e Prata, na premiação oficial do X Salão de Artes Plásticas e Poesias – Comemorativo do Aniversário de Niterói, que aconteceu de 23 de novembro a 12 de dezembro/2011. O evento promovido pelo artista e produtor cultural Comendador Edson Carvalho de Luna Freire coincidiu também com a solenidade de posse da nova Academia Niteroiense de Belas Artes e da entrega do Troféu Destaque 2011 aos artistas, produtores culturais, intelectuais e personalidades que mais se destacaram durante este ano. Álvaro Luiz Cardoso recebeu Medalha de Ouro, referente ao 1º lugar na categoria Poesia, com o poema “Feto sem Teto” e Carlos Martins recebeu Medalha de Prata, referente ao 2º lugar na categoria “Pintura Figurativa” com a obra “Gueixa”. Carlos Martins, conquistou sua segunda medalha de prata neste ano. Já para o poeta Álvaro Luiz Cardoso que participou dos últimos 3 Salões de Artes de Niterói, esta foi sua terceira medalha do ano, pois em todos obteve premiação. Havia ganho anteriormente duas Medalhas de Prata, com o poema “Vadio é o Dono” nos outros dois Salões que aconteceram em setembro e outubro p.p.. Em reconhecimento à sua participação nestes Salões de Artes e Poesias, que o inseriu no meio artístico e cultural da cidade, acabou conquistando também o Troféu Destaque 2011, que premia as personalidades mais proeminentes do meio artístico-cultural do estado do Rio de Janeiro. Contato com os artistas de Amparo: www.alvaroluizcardoso.com.br, cardosanto2010@gmail.com, carlos_artes2010@hotmail.com Álvaro Luiz Cardoso além de escritor, é ator, diretor de teatro, cantor e compositor. Autor de um vasto repertório musical, já teve várias composições premiadas em festivais de MPB no interior de SP. Foi um dos mais produtivos poetas independentes da geração 70, em São Paulo, com cinco obras publicadas, além de poemas impressos em cartazes, folhetos, camisetas e outros suportes. Foi um dos realizadores das Passeatas Poéticas de 79/80/81 em São Paulo, Assis, Santos e Ribeirão Preto, verdadeiros “happenings” de arte na rua, com o Grupo Sanguinovo. Reside em Amparo desde 2006 onde atua em diversas frentes culturais. É o representante da área de literatura no Conselho Municipal de Cultura. Em 2010 fez sua primeira incursão no universo da literatura infantil, com o lançamento do livro “A Chácara da Dona Cota”, pela editora Reverbo, de Campinas. No momento trabalha na transposição do livro para CD com a musicalização e criação de trilhas sonoras para as estórias que já foram apresentadas em show no 11º Festival de Inverno de Amparo – SP. Prepara também o lançamento do DVD “Destaque”, com uma nova produção do show que foi contemplado com o Prêmio Estímulo do 10º Festival de Inverno de Amparo em 2010. Este DVD apenas com músicas autorais foi gravado ao vivo e ainda não foi lançado. As inscrições para o próximo Salão de Artes Plásticas e Poesias de Verão - ANBA/AFJ estarão abertas de 23 de dezembro até 17 de janeiro/2012.Local: Associação Fluminense dos Jornalistas – Rua Maestro Felício Toledo 551 – Centro – Niterói – RJ, Palácio dos Jornalistas (Salão Nobre). Abertura 23 de janeiro de 2012. Encerramento com entrega das premiações, homenagens e coquetel dia 27 de janeiro às 15h no Salão Nobre da Associação Fluminense dos Jornalistas – AFJ - Rua Maestro Felício Toledo 551 – Centro – Niterói – RJ. A Exposição ficará aberta à visitação pública dos dias 23 de janeiro a 27 de janeiro de 2012, no horário das 10h às 16h. Mais Informações: delunafreire@yahoo.com.br , blog: http://colunadeluna.blogspot.com https://www.facebook.com/events/292023250839089/?notif_t=event_invite Novo endereço ANBA. (Academia de Belas Artes, Letras e Ciências. Rua São João, 25 - sala 1014 - Centro - Niterói - RJ - CEP: 24020040 Tel: 21 26226745 - Cel: 21 8254-0082 21 88902424 A pintura “Gueixa” e o poema “Feto sem teto” com ilustração de Carlos Martins estão em anexo. Premiação Oficial do X Salão de Artes Plásticas e Poesias – ANBA/CMN Troféu Melhor obra do Salão - Artista: Shirley Lopes - Título da obra: O caminho Categoria pintura Acadêmica:Medalha de Ouro - Otília OSAen - Título da obra: Palavra de Deus Medalha de Prata - Ceiça Esch - Natureza Morta Medalha de Bronze - Meg Carvalho - Paisagem Categoria Pintura Figurativa:Medalha de Ouro - Isabel Roberts - Título da obra: O Indiano Medalha de Prata - Carlos Martins - Título da obra: Gueixa Medalha de Bronze - Zenaide Azevedo - Título da obra: A sambista Categoria Arte Moderna Contemporânea: Medalha de Ouro - Marcelo Miranda - Título da obra: Caleidoscópio Medalha de Prata - Yves Serpa - Título da obra: Presença de Davi Medalha de Bronze - La Cout - Título da obra: Fragmentos mística Categoria Poesias:Medalha de Ouro - Álvaro Luiz Cardoso - Título do poema: Feto sem Teto Medalha de Prata - Geraldo Portal Veiga - Título da poesia: Criança Medalha de Bronze - Hana Ramalho - Título da poesia: Niterói, Cidade Sorriso

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

I Salão de Verão - ANBA / AFJ

Academia Niteroiense de Belas Artes – Letras e Ciências – ANBA Convida para o I° Salão Artes Plásticas e Poesias de Verão – ANBA / AFJ TEMA LIVRE Local: Associação Fluminense dos Jornalistas – Rua Maestro Felício Toledo 551 – Centro – Niterói – RJ, será realizado no Palácio dos Jornalistas ( Salão Nobre ) Abertura 23 de janeiro de 2012. Encerramento com entrega das premiações, homenagens e coquetel dia 27 de janeiro às 15h no Salão Nobre da Associação Fluminense dos Jornalistas – AFJ - Rua Maestro Felício Toledo 551 – Centro – Niterói – RJ, será realizado no Palácio dos Jornalistas ( Salão Nobre ). A Solenidade com premiações aos artistas e poetas participantes da Mostra de Arte, Outorgas de Comendas, a grandes personalidades, Artistas e Acadêmicos e logo após será servido um coquetel aos presentes no evento. A Exposição ficará aberta à visitação pública dos dias 23 de janeiro a 27 de janeiro de 2012, no Salão Nobre - AFJ - Centro - Niterói – RJ, no horário das 10h às 16h. Mais Informações: delunafreire@yahoo.com.br Novo endereço ANBA. ( Academia de Belas Artes, Letras e Ciências. Rua São João 25 sala 1014 - Centro - Niterói - RJ CEP: 24020040 Tel: 21 26226745 1. DA PROPOSTA # Incentivar e divulgar os artistas e escritores da Cidade e do território nacional e internacional. 2. DAS INSCRIÇÕES 2.1. As inscrições poderão ser realizadas, pessoalmente, pelo correio ou no BANCO ITAÚ - AGENCIA: 4566 - CONTA CORRENTE: 10655-7 FAVORECIDA: Edson Freire, no período de 23 de dezembro até 17 de janeiro de 2012. O comprovante do depósito deve ser enviado para o e-mail edelunafreire@yahoo.com.br de acordo com as instruções apresentadas na FICHA DE INSCRIÇÃO, sem o que a inscrição não será realizada. 2.2. Cada Artista poderá representar-se com uma ou duas obras não necessariamente inéditas, com dimensões máximas de 0,80 X 1,20 m. 2.3. Será cobrada uma taxa de inscrição no valor de R$ 90,00 ( noventa reais) por uma obra, e de R$ 100,00 por duas obras para cada Artista nas categorias de: PINTURA – DESENHO – ESCULTURA – PINTURA CONTEMPORÂNEA – GRAVURA – PORCELANA – CRIATIVIDADE – AQUARELA – NAIF – ARTE DIGITAL – ARTE DECORATIVA – FOTOGRAFIA – CERÂMICA – MOSAICO – PASTEL 2.3B – Será cobrada uma taxa de inscrição para cada poesia no valor de R$ 20,00 o poeta poderá enviar até no máximo 5 cinco poesias em formato A4, Tema Livre, qualquer tipo de letra, com ou sem imagem de fundo, poderá ter moldura ou margem nas laterais. 2.4. As despesas do envio e da devolução das obras correrão por conta do Artista ou de seu representante. 3. REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO 3.1. Ficha de inscrição preenchida e assinada, contendo: a) Proposta da exposição, contendo: concepção (idéia básica), relação de obras, especificando técnicas, dimensões e materiais a serem utilizados e outros dados julgados importantes para melhor entendimento do trabalho. b) Dados pessoais e biográficos: nome completo, nome artístico, endereço completo, telefone, fax, correio eletrônico, formação artística, principais exposições e prêmios. 4. ENVIO As obras deverão ser enviadas para o endereço A/C Comendador De Luna Freire Novo endereço ANBA. ( Academia de Belas Artes, Letras e Ciências. Rua São João 25 sala 1014 - Centro - Niterói - RJ CEP: 24020040 Tel: 21 26226745 5. COMERCIALIZAÇÃO DAS OBRAS O valor da obra constará em listagem específica, disponibilizada na Sala de Exposição; A negociação das obras deverá ser feita diretamente entre o responsável pela exposição e o comprador. As obras vendidas somente poderão ser retiradas ao término da exposição. Será permitida a colocação de um circulo vermelho indicando a venda da obra. A entrega das obras aos compradores será de inteira responsabilidade dos organizadores do salão. 6. DIVULGAÇÃO E PREMIAÇÃO A divulgação ficará por conta dos responsáveis da organização do Salão. 7. DISPOSIÇÕES GERAIS A ANBA ficará isenta de qualquer débito contraído pelo artista e escritor poeta, em virtude da exposição realizada, como também de qualquer transgressão às leis por ele, caso praticada. Cabe ao artista e escritor poeta, providenciar e arcar com os custos de fretes, transportes (até o local da exposição) e seguros das obras, inclusive na devolução (a partir do local da Exposição). O artista e o escritor poeta concede à ANBA direito de uso de imagem das obras apresentadas na Exposição por meios impressos e audiovisuais. 8. AS PREMIAÇÕES: 1º LUGAR – TROFÉU ANBA – para a melhor obra do Salão, concedido pelo júri Oficial e pela Comissão organizadora; 03 MEDALHAS DE OURO para os melhores trabalhos de cada categoria. 03 MEDALHAS DE PRATA para os melhores trabalhos de cada categoria. 03 MEDALHAS DE BRONZE para os melhores trabalhos de cada categoria. POSSIBILIDADE DE PREMIAÇÃO extra-aquisitiva ou troféu ofertado por outra entidade artística. DIPLOMAS: Todos os participantes receberão Diploma referente ao evento. DESCLASSIFICAÇÃO: somente em casos extremos, o artista não poderá participar. 9. ENDEREÇO PARA INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES: Novo endereço ANBA. ( Academia de Belas Artes, Letras e Ciências. Rua São João 25 sala 1014 - Centro - Niterói - RJ CEP: 24020040 Tel: 21 26226745 TELEFONE: (21) 2622-6745 CELULAR: (21) 8890-2424 (21) 8254-0082 e-mail: delunafreire@yahoo.com.br MODELO DE FICHA DE INSCRIÇÃO DADOS PESSOAIS NOME COMPLETO: _______________________________________ NOME ARTÍSTICO: ________________________________________ IDENTIDADE: ____________ CPF: _____________ DATA DE NASCIMENTO: __ / __ / ____ LOCAL DE NASCIMENTO: ___________________ ENDEREÇO: ________________________________________________ TELEFONE: ____________________/ CELULAR __________________ FAX: _______________________ E-mail: ______________________ DADOS PROFISSIONAIS ENDEREÇO: __________________________________________ TELEFONE: ________________________________/ CELULAR__________ FAX: ________________________ Declaro que estou de acordo com os termos deste Regulamento. _________________, ____ de __________ de _______. __________________________________ Assinatura RESPONSÁVEL PELA INSCRIÇÃO:____________________________ ANBA FICHA DE INSCRIÇÃO INSCRIÇÃO Nº. MODALIDADE. ______________ SALÃO:____________________ LOCAL:___________________. NOME COMPLETO DO ARTISTA. ................................................................. _________________________________________ ENDEREÇO COMPLETO: ______________________ _________________________________________ CIDADE: ______________ CEP.________________ ESTADO. _____________ CPF/CNPJ. _________________________________ (Para fins da remessa de retorno) E-mail: ___________________________________ Nome Artístico. ______________________________ HAVENDO VENDA: SERÃO DESCONTADOS 20% DO VALOR DA VENDA. CASO SEJA PARCELADA, O DESCONTO SERÁ NA 1ª PARCELA. A PRESTAÇÃO FINAL DE CONTAS COM OS ARTISTAS SERÁ FEITA APÓS A COMPENSAÇÃO DOS CHEQUES, TANTO DAS VENDAS À VISTA, COMO DE CADA PARCELA. POR FAVOR, ENVIAR O COMPROVANTE DO DEPÓSITO DA INSCRIÇÃO, JUNTO À REMESSA DAS OBRAS. ............................ CORTAR AQUI............................... DESTACAR E COLAR ATRÁS DA OBRA. NOME COMPLETO DO ARTISTA. ____________________ _____________________________________________ OBS.: A RETIRADA DAS OBRAS PODERÁ SER FEITA ATÉ NO PRAZO DE CINCO DIAS. A PARTIR DESSE PRAZO, AS OBRAS PASSAM A PERTENCER AO ACERVO DA ANBA.

domingo, 20 de novembro de 2011

Sistema de Cotas

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES Trabalho da Disciplina Técnica de Reportagem Professor: Leandro Lacerda Aluno: Edson Carvalho de Luna Freire O Sistema de Cotas também chamado de Cotas Raciais, entende-se uma medida governamental que reserva um número determinado de vagas em instituições públicas ou privadas para classes sociais mais desfavorecidas conhecida como Política Afirmativa. Entretanto, esse conceito aplica-se geralmente por tempo determinado. São atendidas por esse sistema populações de grupos étnicos ou raciais, classes sociais, imigrantes, deficientes físicos, mulheres, idosos etc... A justificativa para um sistema de cotas é que grupos específicos, em razão de algum processo histórico depreciativo, teriam maior dificuldade para aproveitarem as oportunidades que surgem no mercado de trabalho, bem como seriam vítimas de discriminações nas suas intenções com a sociedade. Esse sistema já está prevista em lei constitucional brasileira de 1988 ( artigo 37, VIII ) que estabeleceu reservas de vagas para deficientes físicos e sucessivamente outros grupos sociais passam a pleitear a cotização de vagas com intuito de garantir uma participação mínima em certos setores da sociedade como as universidades públicas, iniciada em 2000, com aprovação da lei estadual 3.524/00, de 28 de dezembro, garantindo a reserva de 50% das vagas nessas instituições estaduais. Há outros segmentos da sociedade que consideram um sistema de cotas como desencadeador de um racismo já existente, pois essas cotas de cunho racial residem no fato de quem teria direitos a tais políticas afirmativas. Alguns defendem o critério de auto-declaração, outras defendem a instauração de uma comissão de avaliadores baseados em critérios objetivos e subjetivos que decidiram quem teriam direitos às cotas. Vale lembrar que não há consenso sobre o tema, ou seja, essas cotas são voltadas para a população auto-declarada negra _ podendo abranger os pardos que se declaram negros. Um caso o0corrido em 2007 na Universidade em Brasília, polemisou o caso de dois gêmeos univitelinos que foram classificados como sendo de etnias diferentes, considerada ação de inconstitucionalidade. Haja vista que ao analisar o sistema de cotas, sua aplicabilidade e seus possíveis bônus em ônus, deve-se perceber que qualquer ação afirmativa que busca transpor as desigualdades e a igualdade material ( utopicamente ) deve ser aplicada por um determinado tempo. Juntamente a isso há de ser entender que as ações afirmativas como o sistema de cotas, deve-se possuir ações conjuntas, atacando o problema desde a sua raiz, pois nenhum problema social foge da deficiência das estruturas de base, como educação, distribuição de renda, falta de oportunidade e outros. Portando, se exemplificarmos um fato de uns determinados alunos ou alunas, pleiteados pelo sistema de cotas para uma determinada Universidade pública, percebemos que há problemas estruturais no que tange esse projeto, como as seguintes indagações: tendo em vista que esses alunos e alunas ingressem nas Universidades Públicas beneficiados por esse sistema, como custaria seus estudos nesses estabelecimentos?; Será que esses grupos de beneficiados entre os grupos de não beneficiados apreciariam entre eles um cunho discriminatório?; dentre outras. Portanto, o sistema de cotas é um paliativo, para tentar, amenizar perdas que houve entre afro-descendentes, indígenas ( descendentes ) e etc... sabe-se que o próprio programa apresenta problemas de estruturação.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Novembro Negro - Fernando Paulino

Veja só como novembro é rico em Cultura Negra: dia 13 – Deposição das cinzas de Abdias do Nascimento na Serra da Barriga, em Alagoas, onde foi erguida a República de Palmares; dia 20 – Dia Nacional da Consciência Negra, marcando a data de morte de Zumbi do Palmares; dia 22 – 101 anos da Revolta da Chibata, liderada por João Cândido, o Almirante Negro, na Baía da Guanabara, que banha as antigas terras de Araribóia. Motivos suficientes para se discutir a situação do negro na sociedade atual. Em Niterói, porém, ao que se saiba, nada há no calendário oficial. Em verdade, o Município – com passado de escravidão e discriminação racial persistente – sequer tem um Conselho de Promoção de Políticas Públicas pela Igualdade Racial, a exemplo de vários municípios. Há anos, foi aprovada uma lei a respeito, mas até hoje não implementada – cá pra nós, falta vontade política dos Poderes Executivo e Legislativo e da própria sociedade civil. A criação do Conselho Municipal poderia ser debatida neste Novembro Negro, mas... Em Niterói, não se discute a implantação da Lei 10.639, que, desde 2003, determina a inclusão no currículo oficial da rede de ensino da temática História e Cultura Afro-brasileira. Enquanto isso, o bairro do Cubango, que era uma Pequena África niteroiense no século XIX, corre o risco de perder o nome original para Jardim Santa Rosa, por pressão da especulação imobiliária, que procura uma nova identificação regional que não lembre os descendentes de escravos vindos de Angola. Vale lembrar: foi em Niterói que Oliveira Viana desenvolveu, no início do século XX, seus conceitos que o levaram a ser um dos ideólogos do racismo. Dizia ele que a união entre brancos e negros provocava problemas sociais: “uns desorganizados morais, uns desarmônicos psíquicos, uns desequilibrados funcionais”. Oliveira Viana projetava o fim dos negros no Brasil, argumentando que uma parte dos mestiços seria eliminada “pela miséria moral e física” e outra parte perderia, em questão de décadas, o que ele considerava o sangue inferior, abrindo portas para o embranquecimento da população. Hoje, a sociedade niteroiense reverencia a Casa de Cultura Oliveira Viana, ali na Alameda São Boaventura, na cabeceira da Ponte Rio-Niterói. E a cidade sequer tem um Conselho do Negro... Ah, sim! Vale também lembrar que 2011 é o Ano Internacional do Afrodescendente. Precisamente há 100 anos, foi realizado, em Londres, o Congresso Universal das Raças, quando a delegação brasileira, chefiada por João Batista Lacerda, então diretor do Museu Nacional, apresentou um trabalho em que projetava o fim da raça negra no Brasil no espaço de um século. Manipulando estatísticas demográficas, Lacerda fez uma projeção até 2012, prevendo que neste ano já não haveria negros no País, na mesma linha de raciocínio de Oliveira Viana. Dia desses, uma conselheira de Cultura da cidade me contou uma história que achei simplesmente pavorosa: foi apresentado à Secretaria Municipal de Cultura um projeto de memória de artistas, através de depoimentos que seriam gravados no suntuoso Teatro Municipal de Niterói. MV Bill e Sandra de Sá foram os nomes sugeridos para abrir a série. A proposta foi vetada. O gestor cultural de plantão – que continua à frente de um órgão público do setor de Cultura da cidade – alegou que “ihhh! O morro vai descer!”. A pesquisa que fiz, em 2010, sobre o negro na mídia de Niterói não deixa dúvida: negro só é notícia boa quando é sambista ou artista. Pelo que sai nos jornais locais, parece que não existe na cidade negro médico, engenheiro, professor universitário etc e tal. Existe, sim, mas não tem visibilidade. Por que? Seria mais um assunto que poderia ser debatido neste Novembro Negro, mas... Para mim, o que fica é que, mais uma vez, Niterói não focaliza a questão negra, o que significa dizer não querer focalizar a sua própria história. Fernando Paulino – Membro do Conselho de Cultura de Niterói, jornalista e negro --

domingo, 6 de novembro de 2011

Marcos Couto

Marcos Couto, nasceu e reside em Niterói, RJ. Engenheiro de formação, exerceu essa profissão durante muito tempo mas, foi a partir do seu encontro com as telas, tintas e pincéis que aparece uma nova e visceral forma de se expressar. Completamente capturado por esse universo de formas e cores, foi arriscando, experimentando, reinventando, ousando, e suas imagens foram surgindo... necessidade, desejo, potência, vida! Na construção de suas obras, linhas e volumes, luz e sombras, profundidades e superfícies, tensão e movimento, paixão e liberdade, se integram tão vigorosamente, que se torna impossível não sermos afetados por elas. Beatriz Braia

Grande Abraço de Paz

4006-GRANDE ABRAÇO DE PAZ-4006-GRANDE ABRAÇO DE PAZ - Acróstico nº 4006-Por Sílvia Araújo Motta 4006-GRANDE ABRAÇO DE PAZ-4006-GRANDE ABRAÇO DE PAZ - Retribuição-acróstica nº 4006, ao Chanceler Edson De Luna Freire-Presidente da ANBA, Por Sílvia Araújo Motta/Belo Horizonte/MG. - G-GRANDE ABRAÇO DE PAZ R-Retribuo ao AMIGO VIRTUAL: A-Até o DIA em que estarei capaz, N-Na verdade, que se tornará REAL: D-Darei nó cego no laço que se faz E-Em nossa Amizade ideal-cultural. - A-Ao receber o Troféu 2011-Niterói, B-Bem feliz levarei PAZ no Abraço! R-Reconheço que uma saudade dói! A-Aqui já penso na corrente que faço, Ç-Com fortes elos de alegria-lealdade: O-O ramalhete da GRATIDÃO enlaço. - D-Dia NOVE de dezembro de 2011, E-Eu quero abraçá-lo, pessoalmente! - P-Parabéns, pela Solenidade de Posse: A-Academia Niteroiense de Belas Artes Z-Zela pela integração Cultura e Arte. - Belo Horizonte 21 de outubro de 2011. - Nota: Às 23:59h, em 21 outubro 2011, Edson Carvalho de Luna Freire disse...(site: AIEA)Obrigado pelo carinho, grande poeta e escritora Sílvia Araújo Motta. Grande abraço de Paz!!! - Retribuição-acróstica nº 4006, ao Chanceler Edson De Luna Freire-Presidente da ANBA, Por Sílvia Araújo Motta/Belo Horizonte/MG. - G-GRANDE ABRAÇO DE PAZ R-Retribuo ao AMIGO VIRTUAL: A-Até o DIA em que estarei capaz, N-Na verdade, que se tornará REAL: D-Darei nó cego no laço que se faz E-Em nossa Amizade ideal-cultural. - A-Ao receber o Troféu 2011-Niterói, B-Bem feliz levarei PAZ no Abraço! R-Reconheço que uma saudade dói! A-Aqui já penso na corrente que faço, Ç-Com fortes elos de alegria-lealdade: O-O ramalhete da GRATIDÃO enlaço. - D-Dia NOVE de dezembro de 2011, E-Eu quero abraçá-lo, pessoalmente! - P-Parabéns, pela Solenidade de Posse: A-Academia Niteroiense de Belas Artes Z-Zela pela integração Cultura e Arte. - Belo Horizonte 21 de outubro de 2011. - Nota: Às 23:59h, em 21 outubro 2011, Edson Carvalho de Luna Freire disse...(site: AIEA)Obrigado pelo carinho, grande poeta e escritora Sílvia Araújo Motta. Grande abraço de Paz!!! Silvia Araujo Motta Enviado por Silvia Araujo Motta em 24/10/2011 Código do texto: T3294907 Envie por e-mail Denuncie conteúdo abusivo Comentários Comentar Sobre a autora Silvia Araujo Motta Belo Horizonte/MG - Brasil, 60 anos 4235 textos (408240 leituras) (estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/11/11 20:45) Perfil Textos Contato

X Salão de Artes e Poesias e Posse dos Neo-Acadêmicos da ANBA

X Salão Artes Plásticas e Poesias – Comemorativo ao Aniversário de Niterói - e posse dos novos Acadêmicos da ANBA. por Escritora Merari Tavares, domingo, 6 de Novembro de 2011 às 14:40 TEMA LIVRE INFORMAÇÕES AOS ARTISTAS, Fundada em 27 de outubro de 1940, a Associação e Escola Fluminense de Belas Artes (AFBA) é uma instituição sem fins lucrativos e de utilidade pública municipal e estadual, criada pela Lei 5.116 de 25 de janeiro de 1963, no recinto onde se achava instalada a exposição de pintura de Moisés Nogueira da Silva - saguão térreo do Hotel Imperial, na rua Visconde do Rio Branco, 535. Nasceu com a finalidade cultural de divulgação artística, com sede e foro em Niterói e podendo manter sucursais e representações nas demais Cidades do estado e do País. Atualmente, a AFBA estimula o aperfeiçoamento da cultura artística no Estado do Rio e visa divulgar as artes plásticas e apoiar o desenvolvimento de atividades artísticas, a partir da ideia de que o homem precisa manter contato com a cultura através da arte. INFORMAÇÕES AOS ARTISTAS, POETAS, ESCRITORES e CIENTISTAS, Fundada em 12 de setembro de 2011, a Academia Niteroiense de Belas Artes, Letras e Ciências, (ANBA) é uma instituição sem fins lucrativos e de utilidade pública criada e idealizada pelo Chanceler Dr. Edson Carvalho De Luna Freire. Nasceu com a finalidade cultural de divulgação artística, literária e científica, com sede e foro em Niterói e podendo manter sucursais e representações nas demais Cidades do estado, do País e exterior. Atualmente, a ANBA estimula o aperfeiçoamento da cultura artística, intelectual e científica no Estado do Rio e visa divulgar as artes plásticas a cultura, a literatura e as ciências e apoiar o desenvolvimento dessas atividades, a partir da ideia de que o homem precisa manter contato com a cultura, letras e ciências através da arte. Local: Câmara Municipal de Niterói ( Plenário Brígido Tinoco ) e Salão Nobre Aluízio Valle. Abertura 23 de novembro de 2011. Encerramento com entrega das premiações, homenagens e coquetel dia 9 de dezembro às 15h no Plenário Brígido Tinoco – CMN - Niterói - RJ A Solenidade com premiações aos artistas participantes da Mostra de Arte, Outorgas de Comendas Fluminense de Belas Artes a grandes personalidades, Artistas e Acadêmicos, na ocasião será realizada a fundação e posse dos Novos Acadêmicos da Academia Niteroiense de Belas Artes, Letras e Ciências, ( ANBA ) várias personalidades do meio artísticos, cultural, literários, acadêmico, escritores, poetas, juristas, filósofos e ciêntistas, tomarão posse em suas respectivas cadeiras Acadêmica . A Exposição ficará aberta à visitação pública dos dias 23 de novembro a 9 de dezembro de 2011, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Niterói, Av. Ernani do Amaral Peixoto 625 - Niterói – RJ. Mais Informações: Tel: 21 2622-6745 ( FIXO ) // Cel: 21 8254-0082 ( TIM ) // 21 95007084 ( VIVO )// 21 88902424 ( OI ) delunafreire@yahoo.com.br 1. DA PROPOSTA Incentivar e divulgar os artistas e poetas da Cidade e do território nacional e internacional. 2. DAS INSCRIÇÕES 2.1. As inscrições poderão ser realizadas, pessoalmente, pelo correio ou no BANCO ITAÚ - AGENCIA: 4566 - CONTA CORRENTE: 10655-7 FAVORECIDA: Edson Freire, no período de 1 de novembro até 20 de novembro de 2011. O comprovante do depósito deve ser enviado para o e-mail e delunafreire@yahoo.com.br de acordo com as instruções apresentadas na FICHA DE INSCRIÇÃO, sem o que a inscrição não será realizada. 2.2. Cada Artista poderá representar-se com uma ou duas obras não necessariamente inéditas, com dimensões máximas de 0,80 X 1,20 m. 2.3. Será cobrada uma taxa de inscrição no valor de R$ 90,00 ( noventa reais) por uma obra, e de R$ 100,00 por duas obras para cada Artista nas categorias de: PINTURA – DESENHO – ESCULTURA – PINTURA CONTEMPORÂNEA – GRAVURA – PORCELANA – CRIATIVIDADE – AQUARELA – NAIF – ARTE DIGITAL – ARTE DECORATIVA – FOTOGRAFIA – CERÂMICA – MOSAICO – PASTEL 2.3B – Será cobrada uma taxa de inscrição para cada poesia no valor de R$ 20,00 o poeta poderá enviar até no máximo 5 cinco poesias em formato A4, Tema Livre, qualquer tipo de letra, com ou sem imagem de fundo, poderá ter moldura ou margem nas laterais. 2.4. As despesas do envio e da devolução das obras correrão por conta do Artista ou de seu representante. 3. REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO 3.1. Ficha de inscrição preenchida e assinada, contendo: a) Proposta da exposição, contendo: concepção (idéia básica), relação de obras, especificando técnicas, dimensões e materiais a serem utilizados e outros dados julgados importantes para melhor entendimento do trabalho. b) Dados pessoais e biográficos: nome completo, nome artístico, endereço completo, telefone, fax, correio eletrônico, formação artística, principais exposições e prêmios. 4. ENVIO As obras deverão ser enviadas para o endereço A/C Comendador De Luna Freire Rua Passo da Pátria 48 casa 1 – São Domingos – Niterói – RJ – Brasil CEP: 24.210.240 5. COMERCIALIZAÇÃO DAS OBRAS O valor da obra constará em listagem específica, disponibilizada na Sala de Exposição; A negociação das obras deverá ser feita diretamente entre o responsável pela exposição e o comprador. As obras vendidas somente poderão ser retiradas ao término da exposição. Será permitida a colocação de um circulo vermelho indicando a venda da obra. A entrega das obras aos compradores será de inteira responsabilidade dos organizadores do salão. 6. DIVULGAÇÃO E PREMIAÇÃO A divulgação ficará por conta dos responsáveis da organização do Salão. 7. DISPOSIÇÕES GERAIS A AFBA e ANBA ficarão isenta de qualquer débito contraído pelo artista em virtude da exposição realizada, como também de qualquer transgressão às leis por ele, caso praticada. Cabe ao artista providenciar e arcar com os custos de fretes, transportes (até o local da exposição) e seguros das obras, inclusive na devolução (a partir do local da Exposição). O artista concede à AFBA e a ANBA direito de uso de imagem das obras apresentadas na Exposição por meios impressos e audiovisuais. 8. AS PREMIAÇÕES: 1º LUGAR – TROFÉU AFBA e ANBA – para a melhor obra do Salão, concedido pelo júri Oficial e pela Comissão organizadora; 03 MEDALHAS DE OURO para os melhores trabalhos de cada categoria. 03 MEDALHAS DE PRATA para os melhores trabalhos de cada categoria. 03 MEDALHAS DE BRONZE para os melhores trabalhos de cada categoria. POSSIBILIDADE DE PREMIAÇÃO extra-aquisitiva ou troféu ofertado por outra entidade artística. DIPLOMAS: Todos os participantes receberão Diploma referente ao evento. DESCLASSIFICAÇÃO: somente em casos extremos, o artista não poderá participar. 9. ENDEREÇO PARA INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES: Rua Passo da Pátria 48 casa 1 – São Domingos – Niterói – RJ – Brasil. Cep. 24.210.240 TELEFONE: (21) 2622-6745 CELULAR: (21) 8890-2424 (21) 8254-0082 e-mail: delunafreire@yahoo.com.br MODELO DE FICHA DE INSCRIÇÃO DADOS PESSOAIS NOME COMPLETO: _______________________________________ NOME ARTÍSTICO: ________________________________________ IDENTIDADE: ____________ CPF: _____________ DATA DE NASCIMENTO: __ / __ / ____ LOCAL DE NASCIMENTO: ___________________ ENDEREÇO: ________________________________________________ TELEFONE: ____________________/ CELULAR __________________ FAX: _______________________ E-mail: ______________________ DADOS PROFISSIONAIS ENDEREÇO: __________________________________________ TELEFONE: ________________________________/ CELULAR__________ FAX: ________________________ Declaro que estou de acordo com os termos deste Regulamento. _________________, ____ de __________ de _______. __________________________________ Assinatura RESPONSÁVEL PELA INSCRIÇÃO:____________________________ AFBA FICHA DE INSCRIÇÃO INSCRIÇÃO Nº. MODALIDADE. ______________ SALÃO:____________________ LOCAL:___________________. NOME COMPLETO DO ARTISTA. ................................................................. _________________________________________ ENDEREÇO COMPLETO: ______________________ _________________________________________ CIDADE: ______________ CEP.________________ ESTADO. _____________ CPF/CNPJ. _________________________________ (Para fins da remessa de retorno) E-mail: ___________________________________ Nome Artístico. ______________________________ HAVENDO VENDA: SERÃO DESCONTADOS 20% DO VALOR DA VENDA. CASO SEJA PARCELADA, O DESCONTO SERÁ NA 1ª PARCELA. A PRESTAÇÃO FINAL DE CONTAS COM OS ARTISTAS SERÁ FEITA APÓS A COMPENSAÇÃO DOS CHEQUES, TANTO DAS VENDAS À VISTA, COMO DE CADA PARCELA. POR FAVOR, ENVIAR O COMPROVANTE DO DEPÓSITO DA INSCRIÇÃO, JUNTO À REMESSA DAS OBRAS. ............................ CORTAR AQUI............................... DESTACAR E COLAR ATRÁS DA OBRA. NOME COMPLETO DO ARTISTA. ____________________ _____________________________________________ OBS.: A RETIRADA DAS OBRAS PODERÁ SER FEITA ATÉ NO PRAZO DE CINCO DIAS. A PARTIR DESSE PRAZO, AS OBRAS PASSAM A PERTENCER AO ACERVO DA AFBA e ANBA. Curtir (desfazer) · · Seguir (desfazer) publicação · Compartilhar Você curtiu isso. 13 compartilhamentos

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

8ª Semana de Comunicação da Produção a Indústria Cultural.

Universidade Candido Mendes – UCAM – Niterói 8ª Semana de Comunicação da Produção a Indústria Cultural. Trabalho do aluno Edson Carvalho De Luna Freire, para a disciplina de técnicas de Reportagem do professor Leandro Lacerda - 4° período de Comunicação Social / Jornalismo. RESUMO Na Conferência da 8ª Semana de Comunicação, o qual o tema da Produção a Indústria Cultural ocorreu entre os dias 24 a 28 de outubro às 18:30h da Universidade Candido Mendes, organizado pelos alunos do 4° período de Comunicação Social. Assisti a palestra cujo Tema: “ Carnaval, História e Comunicação “ compuseram a mesa as seguintes personalidades: Bruno Fillippo ( jornalista carnavalesco – O DIA ) - ; Rita Diirr ( presidente da Bloco Saias na Folia e Conselheira de Cultura de Niterói ) - ; Luiz Carlos Bruno: ( ex – diretor de Carnaval da Unidos da Tijuca ) - ; e o mediador professor André da universidade Candido Mendes – Niterói. O mediador Professor André, convidou a Rita Diirr para iniciar a palestra, perguntando Rita Diirr, como iniciou a construção do Bloco Saias na Folia? – Rita Diirr: O Saias na Folia, no primeiro ano nós nos filiamos a Liga das Escolas daqui em Niterói, tivemos um ligeiro problema de preconceito, sendo um Bloco de Mulheres, as pessoas não estão acostumadas, tentamos nos adaptar as exigências da Liga. O primeiro ano do Saias na Folia, nós desfilamos na Rua da Conceição, seguindo um regulamento, apesar desde o início, diziam que o Bloco Saias na Folia, não podia concorrer, sendo um Bloco de mulheres, poderia usar as mulheres e aproveitar para saírem desnudas, isso daria um resultado positivo e daria uma chance de colocar nos primeiros lugares na classificação, e não era essa a idéia, e sim uma apresentação digna de um profissionalismo das mulheres no samba do carnaval, existe reuniões mensais, inclusive no primeiro ano, apresentamos sambistas, sim, porque não? Queremos comandar, contamos um pouco da história do carnaval, e gostaria de agradecer a mídia pela cobertura positiva que nos deu pela apresentação do Bloco Saias na Folia. O mediador Prof. André pergunta ao comentarista de carnaval Bruno Fillippo, Você tinha a Fabiana Sobral que fazia a cobertura pelo Jornal do Brasil, o próprio Vicente, antes de ir para a LIGA, são pessoas que cobriam o Carnaval, então a gente tem por exemplo, o programa das Escolas que iam ser expulsas dos Barracões, ali no Cais do Porto, isso foi noticiado pela editora da Grande Rio, então essa figura do Jornalista do Carnaval, perdeu o interesse ou os próprios editores podem fazer polícia, ele está ali e cobre o Carnaval? - Fillippo – eu acho que são as duas coisas, tanto uma figura mais rara, hoje, quanto pelo próprio desinteresse, das chefias, dos editores, essa figura ele não tem mais espaço que tinha antes. - Prof. André pergunta a platéia: Quem acompanha aqui o carnaval o ano inteiro?, somente três alunos levantaram a mão... - Professor André, pergunta para o Fillippo – Você tem a mesma dificuldade para montar uma equipe para cobrir o Carnaval? - Fillippo – por incrível que pareça não, eu vou explicar porque – a gente costuma buscar os profissionais, dentro desse curso, nós ministramos de cobertura de jornalistas do Carnaval, então já são pessoas que tem breve conhecimento e interesse no assunto de Carnaval, mas como não nos é possível buscar um profissional específico dentro do corpo discente desse curso, eu encontro dificuldade de fazer com que o repórter que não é de Carnaval, mas está escalado para cobrir o Carnaval, que ele se interesse pelo assunto, procure conhecer, procure buscar informações, procure se atualizar, porque o Carnaval também é visto como algo sério dentro das grandes redações. O mediador professor André pergunta para o Luiz Carlos Bruno ( ex- Diretor de Carnaval da Unidos da Tijuca ) - Você foi o idealizador das figuras humanas nos carros da Unidos da Tijuca? - Luiz Carlos Bruno ( carnavalesco ) – Participei da restruturação da Unidos da Tijuca, nos escolhemos o estilo de Paulo Barros, a partir dele do desfile dele da Tuiti, só que a minha mão era muito pesada na Unidos da Tijuca, como Diretor de Carnaval, foi sempre muito pesada, então eu conduzia a idéia dele, eu sempre curti muito realizar o sonho dos outros, entendeu? Em 2005, foi o ano que nós éramos muito ligados em tudo, em conjunto, muito ligado no enredo em pensamentos parecidos, a idéia original da gente em cima do carro, o patê palmas do DNA foi a idéia do Paulo eu dei o apoio a ele, agora a versão modular, mexer com o carro, modificar o carro, isso nem foi minha, foi Osvaldo Jardim. O professor finaliza perguntando Rita Diirr, será que qualquer dia o Bloco Saías na Folia, estará desfilando com cordas, abadas, e com carro de som, e tirando aquela essência que é o chão? - Rita Diirr – Ele ainda está muito preso ao conservadorismo ao machismo e não dizendo que as mulheres não participam dessa construção, as mulheres sempre foram protagonistas muito de sustentação da própria criação do Carnaval para o homem. O Bloco Saias na Folia...o que acontece!, eu sempre me envolvi no carnaval da cidade, sou Cubanguense, mas a gente prestigia todas as Escolas do lado de cá, quando elas estão do lado de lá...( da Baia de Guanabara ) que a gente independentemente do nosso território...é verdade! O saias na Folia, nasceu de uma idéia diante de uma dificuldade que as mulheres tocavam nessas grandes Escolas, e dentro do próprio Carnaval da cidade ser protagonista de alguma coisa do Carnaval, , a não ser exploração do corpo, não criticando há muito mais o uso da exploração do corpo da mulher do que o profissionalismo em si da coisa, se falassem da utilização do corpo da mulher enquanto profissional é uma coisa, a gente vê muito isso, e o que aconteceu, eu militando em alguns blocos em Niterói, tive muita dificuldade em manter as minhas propostas, e aquilo foi me fazendo repensar... No final da Palestras todos os palestrantes receberam o Diploma de Moção pela participação no evento da UCAM-Niterói e um kit oferecido pelos apoiadores do evento, a aluna do 4º período Thaís Heringer agradeceu a presença de todos e foi encerrada a seção.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

TV Atlantica.;com

Amigos, artistas, acadêmicos, escritores e poetas, estou estreiando o meu programa na TV Atlantica, dia 30 de outubro à partir das 13h estaremos gravando o primeiro programa no Iate Clube Brasileiro na Estrada Leopoldo Fróes 400 - entre Icaraí e São Francisco, Niterói - RJ, conto com a sua participação, abraços a todos, até lá!!! clike o link abaixo para apreciar a vinheta do meu Programa!!! http://www.tvatlantica.com/programa/deluna/vinheta.html TV Atlântica www.tvatlantica.com Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player. TV Atlântica www.tvatlantica.com

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Quem disse que só fazemos amor? 2

CONVITE - LANÇAMENTO LITERÁRIO Após o sucesso do lançamento na Bienal do Rio de Janeiro, a Editora All Print e a Livraria Saraiva convidam para a noite de autógrafos do livro: QUEM DISSE QUE SÓ FAZEMOS AMOR? 2 - Manual de Sobrevivência das Mulheres na Selva dos Homens Modernos! -
Todos concordam que, hoje os relacionamentos amorosos andam muito complicados. Essas mulheres inteligentes e preparadas apresentam diferentes perfis masculinos, acompanhados de opiniões observações e vivências diferenciadas. É possível, certamente, tirar boas lições desses depoimentos. De forma descontraídas, elas repassam aos leitores situações curiosas, constrangedoras, inacreditáveis, mas que também podem ser encontradas diariamente nos relacionamentos atuais, nas mais diversas regiões do país, e até do mundo, levando em conta, evidentemente, as diferenças culturais. Esta é uma leitura divertida e ao mesmo tempo esclarecedora, que pode ajudar a conhecer melhor o parceiro e a si mesma. Um livro que com certeza vai agradar. Co-Autoras: Izabelle Valladares - Cristina Ceccagno - Dyandreia Portugal Jô Mendonça - Nívea Sabino - Vanyr Carla Conheça as escritoras no blog: http://quemdissequesofazemosamor2.blogspot.com/ Organizadora: Izabelle Valladares Cidade/Estado:CABO FRIO / RJ ISBN: 978-85-7718-817-8 Segmento: Psicologia Aplicada Preço: R$ 22,00 Acabamento: Brochura Edição: 1ª Nº de páginas: 112 Editora: All Print Editora Formato: 14 x 21 Ano: 2011 As autoras esperam seus convidados com um coquetel na Livraria Saraiva do Plaza Shopping de Niterói, dia 4/11, as 20h. Não perca! DIVULGOU: ASSESSORIA DE MARKETING E IMPRENSA Rio de Janeiro: MARA LOPES maralopes.assessora@gmail.com São Paulo: MARIA EMILIA GENOVESI mariaemilia_genovesi@hotmail.com

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Walkiria Cassanaz expõe no ICB - 2011

A artista plástica Walkiria Cassanaz expõe seu trabalho no X Salão de Artes e Poesias no Iate Clube Brasileiro, realização De Luna Freire, curadoria e marchand.

Walkiria Cassanaz expõe no ICB - 2011

A artista plástica Walkiria Cassanaz expõe seu trabalho no X Salão de Artes e Poesias no Iate Clube Brasileiro, realização De Luna Freire, curadoria e marchand.

domingo, 23 de outubro de 2011

Carlos Martins expõe no ICB - 2011

O artista Carlos Martins expõe no Iate Clube Brasileiro, X Salão de Artes e Poesias, curadoria e marchand De Luna Freire

Vicente Pereira expõe no ICB - 2011

O artista Ronaldo Vicente Pereira expõe no Iate Clube Brasileiro, X Salão de Artes e Poesias, curadoria e marchand De Luna Freire

Vicente Pereira expõe no ICB - 2011

O artista Ronaldo Vicente Pereira expõe no Iate Clube Brasileiro, X Salão de Artes e Poesias, curadoria e marchand De Luna Freire

Carlos Martins expõe no ICB - 2011

O artista plástico Carlos Martins expõe seu trabalho no X Salão de Artes e Poesias no Iate Clube Brasileiro, curadoria e marchand De Luna Freire.

Yves Serpa expõe no ICB - 2011

O artista plástico Yves Serpa expõe seu trabalho no X Salão de Artes e Poesias no Iate Clube Brasileiro, realização De Luna Freire, curadoria e marchand.

Rodolfo Reis expõe no ICB - 2011

O artista plástico Rodolfo Reis expõe seu trabalho no X Salão de Artes e Poesias no Iate Clube Brasileiro, realização De Luna Freire, curadoria e marchand.

Rodolfo Reis expõe no ICB - 2011

Trabalho do artista plástico Rodolfo Reis em exposição no X Salão de Artes e Poesias no Iate Clube Brasileiro, realização De Luna Freire, curadoria e marchand.

sábado, 22 de outubro de 2011

Ruben Correia - escritor irá receber uma homenagem

Academia Niteroiense de Belas Artes - Letras e Ciências, homenageia o escritor e musico Ruben Correia que irá receber no dia 9 de dezembro, na Câmara Municipal de Niterói - Rio de Janeiro, o Troféu DESTAQUE 2011, como escritor infanto-juvenil internacional, de Açores - Portugal, escritor de 14 anos, Ruben Correia, já recebeu uma carta da presidência da República de Portugal, prof. Aníbal Cavaco Silva, elogiando seu trabalho como escritor , o livro de sua autoria Kamel e a lâmpada Árabe já está na segunda edição, realização De Luna Freire, curadoria e marchand.

Bill Brasil - cantor será homenageado

Academia Niteroiense de Belas Artes - Letras e Ciências, homenageia o cantor e compositor do Estado de São Paulo, Bill Brasil que irá receber no dia 9 de dezembro, na Câmara Municipal de Niterói - RJ, o Troféu DESTAQUE 2011, como cantor, músico e compositor pelos muitos méritos que concorrem em sua ilustre pessoa, como uma das proeminentes personalidades dos meios cultural, intelectual, musical, artístico e social do Estado de São Paulo e do Brasil, realização De Luna Freire, curadoria e marchand.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Artista Marcelo Miranda

Artista Marcelo Miranda

O artista plástico Marcelo Miranda expõe seu trabalho em óleo sobre tela intitulado Le Chat Noir Prelud, no Iate Clube Brasileiro, X Salão de Artes e Poesias, realização De Luna Freire, curadoria e marchand

X Salão de Artes e Poesias - ICB - Niterói - RJ

A artista plástica Lucy Porto apresenta os seus trabalhos de Arte Decorativa e Escultura no X Salão de Artes e Poesias no Iate Clube Brasileiro, realização De Luna Freire, curadoria e marchand

X Salão de Artes e Poesias - ICB - Niterói - RJ

A artista plástica Lucy Porto apresenta seu trabalho em Arte Decorativa no X Salão de Artes e Poesias no Iate Clube Brasileiro em Niterói, realização De Luna Freire, curador e marchand

A Artista Plástica Lucy Porto apresenta seu trabalho em Arte Decorativa intitulado Musa Brasileira

http://www.youtube.com/watch?v=WSzMIp5jbJI

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

TROFÉU DESTAQUE DA ACADEMIA NITEROIENSE DE BELAS ARTES _- ANBA

TROFÉU DESTAQUE DA ACADEMIA NITEROIENSE DE BELAS ARTES-ANBA - Soneto clássico-sáfico-heróico nº 4001; Sílabas fortes na 4ª, 6ª, 8ª; 10ª sílabas; Rimado:ABAB, ABAB,CDC,EDE. Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil - Troféu Destaque sempre faz-nos crer neste ideal querer buscar valor, pois vale a pena bom Artista ser ou Escritor que canta e espanta a dor. - Entre imortais, o fruto tem sabor; brilha a cultura e todos podem ver, por merecer aplausos, com louvor, da Presidência e voz do povo ter. - Esta Homenagem sobe ao céu de anil! Tanta alegria até merece samba: Ciências, Letras, Artes, do Brasil. - Academia traz a festa e diz: Niteroiense-Belas Artes-ANBA: Troféu Destaque é PRÊMIO, faz feliz. - Niterói, sexta-feira, 9 de dezembro de 2011.

sábado, 15 de outubro de 2011

TROFÉU DESTAQUE 2011 - 2ª edição. Primeiramente quero me apresentar. Sou Edson Carvalho De Luna Freire, dentre outras atividades, sou artista plástico e Presidente da Academia Niteroiense de Belas Artes - A.N.B.A.. Em segundo, quero agradeçer a todos os amigos, artistas, acadêmicos que possibilitaram a concretização dessa Solenidade de entrega do TROFÉU DESTAQUE 2011. Em terceiro, agradecer a todos voces que estão aqui nos honrando com a sua presença. Por último quero falar sobre o TROFÉU DESTAQUE 2011. Esse Troféu foi idealizado e criado por mim em novembro de 2010, num momento de muita angústia e desânimo assim como aconteceu com W. Disney, na criação do Mickey Mouse. Ele estava passando por muitas necessidades. Sem dinheiro para pagar as suas contas, inclusive passando fome, mas ele não desanimou. Durante oito dias ele trabalhou, ininterruptamente, privando-se até mesmo do sono. O resultado foi Mickey Mouse - sua mais genial criação. Personagem conhecido mundialmente e, que, nesses anos todos vem animando crianças e adultos. Assim como Disney, num momento de angústia e aflição, sem dinheiro e quase passando fome, que idealizei o TROFÉU DESTAQUE 2010. Não pretendo comparar a genialidade de W. Disney com a minha criação TROFÉU DESTAQUE 2011, mas, sim, comparar a ATITUDE. Nós dois transformamos o estado de angústia e aflição em uma obra de arte. Muito obrigado e grande abraço de Luz! De Luna Freire

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Aguarde em novembro, inauguração do programa Cultura e Arte com De Luna na TV ATLANDIDA, os artistas, escritores, poetas e personalidades que tiverem propostas para entrevistas, apresentarem trabalhos para divulgação, poesias e tudo relacionado a cultura, podem entrar em contato pelo e-mail: delunafreire@yahoo.com.br ou pelo tel: 21 26226745 e cel: 21 88902424 para agendar entrevistas.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

https://lh6.googleusercontent.com/-nz2YXrbql9s/To_lWMP2YQI/AAAAAAAAJbg/7NMjmmkAUFE/s400/471.jpg visionário Significado: O visionário é aquele que possui a rara habilidade de aliar a visão à competência. Ele não enxerga apenas o presente: enxerga também o futuro. É capaz de prever tendências e de antecipar mudanças, em vez de ser simplesmente atropelado por elas. Um profissional assim é extremamente valioso para qualquer negócio. Tanto que as empresas à frente de seu tempo já têm até um nome para ele: CVO - chief visionary officer. Exemplo: STEVE JOBS, um visionário que mudou a história e o comportamento humano.
Estatuto da Academia Niteroiense de Belas Artes - Artes, Letras e Ciências Capítulo I Da Academia, sua finalidade e sede Art. 1.º - A Academia Niteroiense de Belas Arte - Artes, Letras e Ciências - A.N.B.A., é uma associação de duração ilimitada, que tem finalidade exclusivamente artística, literária e cultural, legalmente constituída em pessoa jurídica, com sede na cidade de Niterói - RJ. § 1.º São finalidades da Academia: I – incentivar o interesse pelas artes, letras e ciências nacional e estadual e municipal; II – realizar estudos dos problemas de interesse cultural que preocupam o mundo contemporâneo; III – buscar o congraçamento e a maior aproximação entre os representantes da cultura nacional, estadual e municipal. § 2.º Para atingir as finalidades citadas no parágrafo anterior, poderá a Academia: I – estabelecer e manter relações de intercâmbio com entidades culturais do país e do exterior; II – promover ou participar de congressos, simpósios, seminários, conferências e palestras ligados à finalidade da Academia; III – incentivar ou auxiliar, como for possível, a publicação de trabalhos ou livros de autores niteroienses, fluminenses fomentando o desenvolvimento das belas artes, em qualquer das suas diversas manifestações. Art. 2.º - A Academia Niteroiense de Belas Artes - Artes, Letras e Ciências, poderá filiar-se à Federação das Academias de Letras - Artes e Ciências do Brasil, na qual será representada por três delegados escolhidos dentre seus sócios efetivos. Capítulo II Da composição e do preenchimento Art. 3.º - O quadro da Academia Niteroiense de Belas Artes -Artes, Letras e Ciências é composto de quarenta Cadeiras preenchidas por sócios efetivos. Parágrafo único. As cadeiras serão numeradas de 1 a 40, tendo cada uma delas o seu patrono, já falecido, de nacionalidade brasileira, ou não, que tenha sido radicado em Niterói ou, então, lhe tenha prestado relevantes serviços, alçando-se à consideração pública, em qualquer setor das atividades humanas. Art. 4.º - Ocorrida a vacância da cadeira, o presidente da Academia expedirá ato declarando-a vaga e determinará que a secretaria tome as providências necessárias ao seu preenchimento. § 1.º A Secretaria comunicará a cada sócio a vacância e o prazo a indicação de candidatos. § 2º A indicação de cada candidato será feita por, pelo menos, três sócios. § 3.º Só poderá ser apresentado quem tiver: I – publicado obra original de significativo valor literário e/ou cultural; II – reputação ilibada; III – residência habitual no município de Niterói - Estado do Rio de Janeiro, excetuando-se o ocupan-te da cadeira 40, destinada a niteroiense. § 4.º Concluído o prazo de apresentação, o secretário-geral encaminhará o curriculum vitae dos indicados à Comissão de Análise dos Candidatos (CAC), composta de sete sócios efetivos, que elaborará parecer conclusivo no prazo de trinta dias. § 5.º Recebido o parecer, o presidente convocará, por edital, os sócios para a assembléia geral para eleger o novo acadêmico, especificando local, data e horário da reunião. § 6.º Em cada assembléia será eleito um só candidato. Art. 5.º - Na eleição para o preenchimento de vaga, exige-se o pronunciamento da maioria absoluta dos acadêmicos, podendo, os que estiverem impedidos de comparecer, enviar o seu voto por escrito, em envelope lacrado, sem qualquer indicação que o identifique, mencionando apenas o número da cadeira vaga a que se refere o voto. O envelope assim preparado será colocado em outra sobrecarta endereçada ao presidente. § 1.º O voto é secreto. § 2.º Considerar-se-á eleito o candidato que obtiver maior número de votos do total dos sufrágios válidos e, em caso de empate, será eleito o mais idoso. § 3.º Concluída a apuração, o presidente anunciará o resultado da eleição e designará uma comissão de três sócios para levar ao candidato, pessoalmente, a comunicação de sua eleição. Em caso de residir o candidato em outra cidade, a comunicação poderá ser feita pelo próprio presidente. Art. 6.º - A posse dos eleitos deverá ocorrer dentro de seis meses a contar da comunicação oficial de sua eleição, em data acertada entre o presidente e o eleito. Em caso de motivo justificado, a Diretoria poderá prorrogar este prazo por mais trinta dias. Parágrafo único. O candidato eleito, na hipótese de não tomar posse no prazo da prorrogação, perderá automaticamente seus direitos, considerando-se vaga a cadeira. Art. 7.º - Dar-se-á posse em sessão solene da Academia e, nela, o candidato eleito receberá o seu diploma de sócio. Art. 8.º - O novo sócio, ao ser empossado, será, em nome da Academia, saudado por um dos acadêmicos. No discurso de posse, deverá o empossado fazer o estudo da vida e da obra do patrono e de seu antecessor, podendo ainda focalizar e fixar sua posição doutrinária diante de problemas da cultura ou do mundo moderno. Capítulo III Dos direitos e deveres dos sócios Art. 9.º - O candidato eleito poderá usar o título e gozar de seus direitos e regalias somente após a posse. Art. 10.º - São direitos e regalias dos sócios: I – votar e ser votado nas eleições para a diretoria; II – votar nas eleições para o preenchimento de vagas no quadro da Academia; III – tomar parte nas reuniões, formular proposta e participar de todas as discussões e decisões; IV – publicar, em órgãos sob a direção da Academia, seus trabalhos de cunho artístico, literário ou cultural. Art. 11.º - São deveres do sócio comparecer às reuniões e sessões da Academia e delas participar, bem como contribuir com a anuidade de manutenção dos serviços da Academia. Art. 12.º - Extinguem-se os direitos do sócio: I – pela renúncia expressa à sua condição de sócio; II – por morte; III – por exclusão; IV – por falta de pagamento, sem motivo justificado, de duas anuidades. § 1.º Poderá ser excluído, por decisão da assembléia geral, o sócio que cometer falta que comprometa o bom nome da Academia. § 2.º Sempre que, por motivo justificado, deixar de participar por mais de um ano das atividades da Academia, o sócio poderá ser transferido, em caráter definitivo, pela assembléia geral, para o quadro de sócios correspondentes, perdendo sua condição de sócio efetivo, declarando-se vaga a cadeira que ocupava. § 3.º A assembléia geral estabelecerá o rito a ser seguido nos casos previstos no inciso IV e nos §§ 1.º e 2.º deste artigo, respeitando-se no que couber, o disposto no art. 5.º deste Estatuto. Capítulo IV Dos sócios correspondentes Art. 13.º - A Academia terá também um quadro de sócios correspondentes, em número de quarenta. § 1.º Para sócio correspondente, respeitado o disposto no § 2.º do art. 12.º, serão escolhidos unicamente pessoas residentes fora do município de Niterói, no Brasil, ou no exterior, que exerçam atividades de reconhecido valor intelectual e, em especial, na divulgação da cultura niteroiense. § 2.º Havendo vaga no quadro, qualquer sócio poderá formular proposta para admissão de sócio correspondente, devendo especificar os trabalhos desenvolvidos pelo proposto e, se possível, anexá-los. § 3.º O sócio correspondente será eleito, após parecer favorável da Comissão Permanente de Análise de Candidatos, em sessão previamente convocada para este fim, exigindo-se para a eleição a metade de votos favoráveis dos sócios presentes. Capítulo V Da diretoria Art. 14.º - A Academia será dirigida por uma diretoria eleita por voto secreto, integrada de: I – Presidente; II – Vice-Presidente; III - 2° Vice-Presidente IV – Secretário-Geral; V – Secretário; VI– 1.º Tesoureiro; VII – 2.º Tesoureiro. VIII - Presidente do Conselho. Parágrafo único. Os cargos de direção não serão, em qualquer hipótese, remunerados. Art. 15.º - Compete ao presidente: I – presidir as reuniões da Academia; II – representar, ativa e passivamente, a Academia em juízo ou fora dele; III – delegar atribuições ao vice-presidente, ou a qualquer acadêmico, para representar a Academia; IV – assinar atos dentro dos limites de sua competência, ou resoluções, em cumpri-mento às decisões da assembléia geral; V – designar os membros da Comissão Permanente de Análise de Candidatos. Parágrafo único. A Comissão Permanente de Análise de Candidatos será composta por sete membros, incluindo o secretário-geral, que a presidirá, e suas decisões serão tomadas por maioria absoluta de seus componentes. Art. 16.º - Compete ao vice-presidente a substituição do presidente em suas licenças, faltas ou impedimentos. Art. 17.º - Compete ao secretário-geral a direção dos trabalhos administrativos e da secretaria, a correspondência oficial e o arquivo do órgão. Art. 18.º - Compete ao secretário a substituição do secretário-geral, a lavratura das atas e a direção da biblioteca. Art. 19.º - Compete ao 1.º tesoureiro a arrecadação, a guarda e a administração dos recursos da Academia, devendo a aplicação deles ser feita de acordo com as deliberações da diretoria ou, em casos urgentes, sujeita à posterior ratificação por ela. Parágrafo único. Compete ainda ao 1.º tesoureiro assinar, juntamente com o presidente, os documentos necessários à movimentação dos recursos da Academia. Art. 20.º - O mandato da diretoria será de três anos, podendo haver reeleições. § 1.º A posse deverá ocorrer no mês de outubro de cada triênio, ao ensejo das co-memorações da data do aniversário da Academia. § 2.º Na hipótese de não haver, por qualquer motivo, a renovação da diretoria no prazo previsto, considera-se prorrogado seu mandato até a eleição e posse da nova Diretoria, dentro do prazo máximo de noventa dias. Art. 21.º - As eleições serão regulamentadas pelo Regimento da Academia. Capítulo VI Das assembléias gerais, sessões e reuniões Art. 22.º - A Academia realizará assembléias gerais, sessões solenes, reuniões ordiná-rias e extraordinárias. Art. 23.º - As assembléias gerais exigirão a convocação por edital publicado em órgão da imprensa de grande circulação, com prazo de dez dias, de todos os sócios efetivos e suas deliberações serão tomadas, em primeira convocação, por maioria absoluta dos sócios e, por um quarto deles, em segunda convocação. Parágrafo único. Serão em assembléia geral: I – as eleições para a composição da diretoria; II – as eleições para o preenchimento de vaga; III – as decisões referentes à alienação de bens e à dissolução da entidade; IV – as decisões concernentes à reforma do estatuto máxime quanto à administração da entidade. Art. 24.º - As sessões solenes realizar-se-ão na posse de novos acadêmicos, da diretoria, ou para qualquer comemoração ou homenagem, em datas marcadas pelo presidente, independendo, em qualquer caso, de quórum. Art. 25.º - As reuniões ordinárias independem de edital de convocação, podendo ser realizadas mediante simples aviso aos sócios e as deliberações nelas serão tomadas pela maioria dos membros presentes. Parágrafo único. Serão em reuniões ordinárias: I – a decisão dos assuntos que não se enquadrem na competência da assembléia geral ou da Diretoria; II – a aprovação das contas anuais da Diretoria; III – as decisões para a admissão de sócios correspondentes, que, entretanto, poderão ser, também, tomadas nas assembléias gerais. Art. 26.º - Quando não houver reunião da assembléia geral convocada, a Academia realizará pelo menos uma reunião ordinária por mês, a fim de tratar de assuntos gerais. Art. 27.º - As reuniões da diretoria realizar-se-ão a qualquer momento que as convo-que o presidente e nelas serão tomadas as decisões que envolvam a da administração da entidade, excluídas aquelas da competência das assembléias gerais. Capítulo VII Do patrimônio Art. 28.º - A secretaria manterá registro específico de todo o patrimônio da Academia. Capítulo VIII Do orçamento e dos recursos Art. 29.º - A diretoria elaborará, ao início de cada ano, o orçamento da entidade. § 1.º Poderá a Academia receber auxílios, subvenções e doações de entidades públicas e particulares, podendo, também, assumir, de acordo com suas possibilidades, compromissos recomendados pelo desenvolvimento da cultura municipal e estadual. § 2.º A Academia poderá criar suas próprias fontes de recursos. Art. 30.º - Cada sócio contribuirá com uma anuidade, para a manutenção dos serviços gerais da Academia, a ser fixada para o exercício seguinte, na última reunião do ano. Parágrafo único. O pagamento da anuidade poderá ser feito em duas parcelas. Art. 31.º - A tesouraria organizará, anualmente, o balanço das contas correspondentes. Capítulo IX Disposições gerais e transitórias Art. 32.º - A Academia poderá, por seu presidente, devidamente autorizado pela maioria dos sócios presentes a qualquer reunião ordinária, assinar convênios com entidades públicas ou particulares para a edição de obras ou para a execução de programas culturais conjuntos. Art. 33.º - Os sócios da Academia Niteroiense de Belas Artes - Artes, Letras e Ciências não respondem, nem subsidiariamente, pelas obrigações assumidas pela Academia. Art. 34.º - Em caso de extinção da Academia, seu patrimônio será destinado ao Estado de Mato Grosso do Sul, que fará dele o uso que lhe convier. Art. 35.º - O mandato da diretoria expirará, ordinariamente, no dia 30 de outubro do último ano do triênio para o qual foi eleita. Art. 36.º - A diretoria, com a aprovação da assembléia geral, poderá conceder o Diploma de Honra ao Mérito a pessoas, estranhas ao quadro dos sócios efetivos, que tenham realizado atos de relevância a bem da Academia. Art. 37.º - Comissão nomeada pelo presidente apresentará, no prazo de sessenta dias, o projeto do Regimento da Academia. Art. 38.º - Os casos omissos no presente Estatuto serão resolvidos pela Assembléia Geral. Art. 39.º - Este Estatuto passará a vigorar na data de sua aprovação pela assembléia geral, revogadas as disposições em contrário.
Estatuto da Academia Niteroiense de Belas Artes - Artes, Letras e Ciências Capítulo I Da Academia, sua finalidade e sede Art. 1.º - A Academia Niteroiense de Belas Arte - Artes, Letras e Ciências - A.N.B.A., é uma associação de duração ilimitada, que tem finalidade exclusivamente artística, literária e cultural, legalmente constituída em pessoa jurídica, com sede na cidade de Niterói - RJ. § 1.º São finalidades da Academia: I – incentivar o interesse pelas artes, letras e ciências nacional e estadual e municipal; II – realizar estudos dos problemas de interesse cultural que preocupam o mundo contemporâneo; III – buscar o congraçamento e a maior aproximação entre os representantes da cultura nacional, estadual e municipal. § 2.º Para atingir as finalidades citadas no parágrafo anterior, poderá a Academia: I – estabelecer e manter relações de intercâmbio com entidades culturais do país e do exterior; II – promover ou participar de congressos, simpósios, seminários, conferências e palestras ligados à finalidade da Academia; III – incentivar ou auxiliar, como for possível, a publicação de trabalhos ou livros de autores niteroienses, fluminenses fomentando o desenvolvimento das belas artes, em qualquer das suas diversas manifestações. Art. 2.º - A Academia Niteroiense de Belas Artes - Artes, Letras e Ciências, poderá filiar-se à Federação das Academias de Letras - Artes e Ciências do Brasil, na qual será representada por três delegados escolhidos dentre seus sócios efetivos. Capítulo II Da composição e do preenchimento Art. 3.º - O quadro da Academia Niteroiense de Belas Artes -Artes, Letras e Ciências é composto de quarenta Cadeiras preenchidas por sócios efetivos. Parágrafo único. As cadeiras serão numeradas de 1 a 40, tendo cada uma delas o seu patrono, já falecido, de nacionalidade brasileira, ou não, que tenha sido radicado em Niterói ou, então, lhe tenha prestado relevantes serviços, alçando-se à consideração pública, em qualquer setor das atividades humanas. Art. 4.º - Ocorrida a vacância da cadeira, o presidente da Academia expedirá ato declarando-a vaga e determinará que a secretaria tome as providências necessárias ao seu preenchimento. § 1.º A Secretaria comunicará a cada sócio a vacância e o prazo a indicação de candidatos. § 2º A indicação de cada candidato será feita por, pelo menos, três sócios. § 3.º Só poderá ser apresentado quem tiver: I – publicado obra original de significativo valor literário e/ou cultural; II – reputação ilibada; III – residência habitual no município de Niterói - Estado do Rio de Janeiro, excetuando-se o ocupan-te da cadeira 40, destinada a niteroiense. § 4.º Concluído o prazo de apresentação, o secretário-geral encaminhará o curriculum vitae dos indicados à Comissão de Análise dos Candidatos (CAC), composta de sete sócios efetivos, que elaborará parecer conclusivo no prazo de trinta dias. § 5.º Recebido o parecer, o presidente convocará, por edital, os sócios para a assembléia geral para eleger o novo acadêmico, especificando local, data e horário da reunião. § 6.º Em cada assembléia será eleito um só candidato. Art. 5.º - Na eleição para o preenchimento de vaga, exige-se o pronunciamento da maioria absoluta dos acadêmicos, podendo, os que estiverem impedidos de comparecer, enviar o seu voto por escrito, em envelope lacrado, sem qualquer indicação que o identifique, mencionando apenas o número da cadeira vaga a que se refere o voto. O envelope assim preparado será colocado em outra sobrecarta endereçada ao presidente. § 1.º O voto é secreto. § 2.º Considerar-se-á eleito o candidato que obtiver maior número de votos do total dos sufrágios válidos e, em caso de empate, será eleito o mais idoso. § 3.º Concluída a apuração, o presidente anunciará o resultado da eleição e designará uma comissão de três sócios para levar ao candidato, pessoalmente, a comunicação de sua eleição. Em caso de residir o candidato em outra cidade, a comunicação poderá ser feita pelo próprio presidente. Art. 6.º - A posse dos eleitos deverá ocorrer dentro de seis meses a contar da comunicação oficial de sua eleição, em data acertada entre o presidente e o eleito. Em caso de motivo justificado, a Diretoria poderá prorrogar este prazo por mais trinta dias. Parágrafo único. O candidato eleito, na hipótese de não tomar posse no prazo da prorrogação, perderá automaticamente seus direitos, considerando-se vaga a cadeira. Art. 7.º - Dar-se-á posse em sessão solene da Academia e, nela, o candidato eleito receberá o seu diploma de sócio. Art. 8.º - O novo sócio, ao ser empossado, será, em nome da Academia, saudado por um dos acadêmicos. No discurso de posse, deverá o empossado fazer o estudo da vida e da obra do patrono e de seu antecessor, podendo ainda focalizar e fixar sua posição doutrinária diante de problemas da cultura ou do mundo moderno. Capítulo III Dos direitos e deveres dos sócios Art. 9.º - O candidato eleito poderá usar o título e gozar de seus direitos e regalias somente após a posse. Art. 10.º - São direitos e regalias dos sócios: I – votar e ser votado nas eleições para a diretoria; II – votar nas eleições para o preenchimento de vagas no quadro da Academia; III – tomar parte nas reuniões, formular proposta e participar de todas as discussões e decisões; IV – publicar, em órgãos sob a direção da Academia, seus trabalhos de cunho artístico, literário ou cultural. Art. 11.º - São deveres do sócio comparecer às reuniões e sessões da Academia e delas participar, bem como contribuir com a anuidade de manutenção dos serviços da Academia. Art. 12.º - Extinguem-se os direitos do sócio: I – pela renúncia expressa à sua condição de sócio; II – por morte; III – por exclusão; IV – por falta de pagamento, sem motivo justificado, de duas anuidades. § 1.º Poderá ser excluído, por decisão da assembléia geral, o sócio que cometer falta que comprometa o bom nome da Academia. § 2.º Sempre que, por motivo justificado, deixar de participar por mais de um ano das atividades da Academia, o sócio poderá ser transferido, em caráter definitivo, pela assembléia geral, para o quadro de sócios correspondentes, perdendo sua condição de sócio efetivo, declarando-se vaga a cadeira que ocupava. § 3.º A assembléia geral estabelecerá o rito a ser seguido nos casos previstos no inciso IV e nos §§ 1.º e 2.º deste artigo, respeitando-se no que couber, o disposto no art. 5.º deste Estatuto. Capítulo IV Dos sócios correspondentes Art. 13.º - A Academia terá também um quadro de sócios correspondentes, em número de quarenta. § 1.º Para sócio correspondente, respeitado o disposto no § 2.º do art. 12.º, serão escolhidos unicamente pessoas residentes fora do município de Niterói, no Brasil, ou no exterior, que exerçam atividades de reconhecido valor intelectual e, em especial, na divulgação da cultura niteroiense. § 2.º Havendo vaga no quadro, qualquer sócio poderá formular proposta para admissão de sócio correspondente, devendo especificar os trabalhos desenvolvidos pelo proposto e, se possível, anexá-los. § 3.º O sócio correspondente será eleito, após parecer favorável da Comissão Permanente de Análise de Candidatos, em sessão previamente convocada para este fim, exigindo-se para a eleição a metade de votos favoráveis dos sócios presentes. Capítulo V Da diretoria Art. 14.º - A Academia será dirigida por uma diretoria eleita por voto secreto, integrada de: I – Presidente; II – Vice-Presidente; III - 2° Vice-Presidente IV – Secretário-Geral; V – Secretário; VI– 1.º Tesoureiro; VII – 2.º Tesoureiro. VIII - Presidente do Conselho. Parágrafo único. Os cargos de direção não serão, em qualquer hipótese, remunerados. Art. 15.º - Compete ao presidente: I – presidir as reuniões da Academia; II – representar, ativa e passivamente, a Academia em juízo ou fora dele; III – delegar atribuições ao vice-presidente, ou a qualquer acadêmico, para representar a Academia; IV – assinar atos dentro dos limites de sua competência, ou resoluções, em cumpri-mento às decisões da assembléia geral; V – designar os membros da Comissão Permanente de Análise de Candidatos. Parágrafo único. A Comissão Permanente de Análise de Candidatos será composta por sete membros, incluindo o secretário-geral, que a presidirá, e suas decisões serão tomadas por maioria absoluta de seus componentes. Art. 16.º - Compete ao vice-presidente a substituição do presidente em suas licenças, faltas ou impedimentos. Art. 17.º - Compete ao secretário-geral a direção dos trabalhos administrativos e da secretaria, a correspondência oficial e o arquivo do órgão. Art. 18.º - Compete ao secretário a substituição do secretário-geral, a lavratura das atas e a direção da biblioteca. Art. 19.º - Compete ao 1.º tesoureiro a arrecadação, a guarda e a administração dos recursos da Academia, devendo a aplicação deles ser feita de acordo com as deliberações da diretoria ou, em casos urgentes, sujeita à posterior ratificação por ela. Parágrafo único. Compete ainda ao 1.º tesoureiro assinar, juntamente com o presidente, os documentos necessários à movimentação dos recursos da Academia. Art. 20.º - O mandato da diretoria será de três anos, podendo haver reeleições. § 1.º A posse deverá ocorrer no mês de outubro de cada triênio, ao ensejo das co-memorações da data do aniversário da Academia. § 2.º Na hipótese de não haver, por qualquer motivo, a renovação da diretoria no prazo previsto, considera-se prorrogado seu mandato até a eleição e posse da nova Diretoria, dentro do prazo máximo de noventa dias. Art. 21.º - As eleições serão regulamentadas pelo Regimento da Academia. Capítulo VI Das assembléias gerais, sessões e reuniões Art. 22.º - A Academia realizará assembléias gerais, sessões solenes, reuniões ordiná-rias e extraordinárias. Art. 23.º - As assembléias gerais exigirão a convocação por edital publicado em órgão da imprensa de grande circulação, com prazo de dez dias, de todos os sócios efetivos e suas deliberações serão tomadas, em primeira convocação, por maioria absoluta dos sócios e, por um quarto deles, em segunda convocação. Parágrafo único. Serão em assembléia geral: I – as eleições para a composição da diretoria; II – as eleições para o preenchimento de vaga; III – as decisões referentes à alienação de bens e à dissolução da entidade; IV – as decisões concernentes à reforma do estatuto máxime quanto à administração da entidade. Art. 24.º - As sessões solenes realizar-se-ão na posse de novos acadêmicos, da diretoria, ou para qualquer comemoração ou homenagem, em datas marcadas pelo presidente, independendo, em qualquer caso, de quórum. Art. 25.º - As reuniões ordinárias independem de edital de convocação, podendo ser realizadas mediante simples aviso aos sócios e as deliberações nelas serão tomadas pela maioria dos membros presentes. Parágrafo único. Serão em reuniões ordinárias: I – a decisão dos assuntos que não se enquadrem na competência da assembléia geral ou da Diretoria; II – a aprovação das contas anuais da Diretoria; III – as decisões para a admissão de sócios correspondentes, que, entretanto, poderão ser, também, tomadas nas assembléias gerais. Art. 26.º - Quando não houver reunião da assembléia geral convocada, a Academia realizará pelo menos uma reunião ordinária por mês, a fim de tratar de assuntos gerais. Art. 27.º - As reuniões da diretoria realizar-se-ão a qualquer momento que as convo-que o presidente e nelas serão tomadas as decisões que envolvam a da administração da entidade, excluídas aquelas da competência das assembléias gerais. Capítulo VII Do patrimônio Art. 28.º - A secretaria manterá registro específico de todo o patrimônio da Academia. Capítulo VIII Do orçamento e dos recursos Art. 29.º - A diretoria elaborará, ao início de cada ano, o orçamento da entidade. § 1.º Poderá a Academia receber auxílios, subvenções e doações de entidades públicas e particulares, podendo, também, assumir, de acordo com suas possibilidades, compromissos recomendados pelo desenvolvimento da cultura municipal e estadual. § 2.º A Academia poderá criar suas próprias fontes de recursos. Art. 30.º - Cada sócio contribuirá com uma anuidade, para a manutenção dos serviços gerais da Academia, a ser fixada para o exercício seguinte, na última reunião do ano. Parágrafo único. O pagamento da anuidade poderá ser feito em duas parcelas. Art. 31.º - A tesouraria organizará, anualmente, o balanço das contas correspondentes. Capítulo IX Disposições gerais e transitórias Art. 32.º - A Academia poderá, por seu presidente, devidamente autorizado pela maioria dos sócios presentes a qualquer reunião ordinária, assinar convênios com entidades públicas ou particulares para a edição de obras ou para a execução de programas culturais conjuntos. Art. 33.º - Os sócios da Academia Niteroiense de Belas Artes - Artes, Letras e Ciências não respondem, nem subsidiariamente, pelas obrigações assumidas pela Academia. Art. 34.º - Em caso de extinção da Academia, seu patrimônio será destinado ao Estado de Mato Grosso do Sul, que fará dele o uso que lhe convier. Art. 35.º - O mandato da diretoria expirará, ordinariamente, no dia 30 de outubro do último ano do triênio para o qual foi eleita. Art. 36.º - A diretoria, com a aprovação da assembléia geral, poderá conceder o Diploma de Honra ao Mérito a pessoas, estranhas ao quadro dos sócios efetivos, que tenham realizado atos de relevância a bem da Academia. Art. 37.º - Comissão nomeada pelo presidente apresentará, no prazo de sessenta dias, o projeto do Regimento da Academia. Art. 38.º - Os casos omissos no presente Estatuto serão resolvidos pela Assembléia Geral. Art. 39.º - Este Estatuto passará a vigorar na data de sua aprovação pela assembléia geral, revogadas as disposições em contrário.
Academia Niteroiense de Belas Artes Criada e idealizada pelo Barão Dom Edson Carvalho De Luna Freire, carioca, nascido no Leblon, Rio de Janeiro em 1949, aos três meses de idade, foi morar em Niterói, com os seus pais Edward Valdemar De Luna Freire e Célia Carvalho De Luna, sua avó paterna, Astrogilda da Cunha De Luna Freire, que teve uma grande participação na sua infância, na educação e no desenvolvimento espiritual e intelectual, pois os pais se separaram quando tinha apenas três anos de idade, morador no Bairro de São Domingos em Niterói - RJ, na Rua Guilherme Briggs n° 3 casa 30, começando a sua trajetória estudantil, no Jardim da Infância Maria Guilhermina, hoje IEPIC. Comecei a me interessar pela arte desde o jardim da infância, pois trabalhava com macinhas coloridas, lápis de cor, tintas guaches, etc...naquela época o ensino público era muito respeitado e considerado, porque os professores eram bem remunerados e a dedicação ao ensino era por um ideal ao desenvolvimento cultural para um ser em formação ser digno quando atingisse a idade adulta, hoje em dia o desrespeito ao professor, o descaço do poder público a educação, é alarmante, como aconteceu nesta semana no ABC - paulista, um estudante de 10 anos de idade, baleou a professora com o revólver do pai que é segurança de uma empresa, e logo em seguida o menino deu um tiro na cabeça e morreu, quero dizer com isso que, se não tivermos uma atitude do poder público urgente a favor do ensino e da educação neste país, dentro de muito pouco tempo, o caos será instalado, o popular Edson Arantes do Nascimento vulgo Pelé, já falava sobre esse assunto algum tempo atrás, é preciso urgência, do poder público. ( Disse De Luna ). Aos sete anos de idade (1956), ingressou no ensino básico no Grupo Escolar Getúlio Vargas, hoje IEPIC, lembra de vários professores que teve naquela época, mas os nomes não guardou, porque era péssimo para memorizar nomes e datas, nunca foi um aluno excelente que tirava notas boas, ao contrário, sempre teve muita dificuldade para prestar atenção nas aulas, era muito disperso e gostava de brincar com os amiguinhos no horário de aula, por isso foi várias vezes chamado para conversar com a Diretora da Escola, pois ela sempre com muito carinho aconselhava-o a ser bem comportado para poder passar nas provas e logicamente de ano letivo. Completou o primário no Grupo Escolar Getúlio Vargas, em 1960, foi estudar no Colégio Batista de Niterói na Rua Visconde de Moraes no bairro do Ingá. Todos os dias antes de entrar na sala de aula, o pastor Samuel Carvalho, Diretor do Colégio Batista, sempre pregava a palavra de Cristo para conforto espiritual dos alunos, a filha do Pastor Samuel, a Denise Carvalho, foi sua colega de turma, uma aluna exemplar sempre tirava as melhores notas em todas as matérias, não era porque era filha do Diretor e sim pelo sua sabedoria e educação que desenvolvia nos estudos,muito estudiosa e dedicada.( Disse De Luna ). No ano de 1965, transferiu sua residência pára Copacabana no Rio de Janeiro, foi morar com a sua mãe Celinha, e seu padrasto Walter Araújo, logo quando chegou em Copacabana, foi estudar no Instituto Técnico Oberg, cursou Desenho de Arquitetura, Desenho de Propaganda e Publicidade e por fim Desenho Artístico, onde predominava o nú artístico, seu Mestre foi o próprio Diretor do Instituto Prof. Oberg, onde, num ambiente acolhedor muito calmo e de grande harmonia, produzia seus estudos com muito amor e satisfação, no ano de 1972, já estava expondo seus primeiros trabalhos em óleo sobre tela, na Praça Gal. Osório em Ipanema no Rio de Janeiro, precursor da feira hippye, vendia seus trabalhos em estilos figurativos, primitivos e acadêmicos, para turistas da Itália, França, Portugal e Espanha, adquirindo assim grande experiência na convivência do meio artístico e cultural na época de conflitos de gerações, mudanças políticas e agito cultural, sentiu a necessidade de participar de Salões de Premiações, foi quando selecionado para o IV Salão de Verão no Museu de Arte Moderna do RJ, e a Pré-Bienal de São Paulo e Curitiba em 1974, motivado pelas vendas dos seus trabalhos em Ipanema e em Galerias de Artes em Copacabana, resolveu abrir seu atelier de artes no Leme, em Copacabana. Cortando o cordão umbilical, durante alguns anos, com coragem e determinação, resolveu viver completamente das vendas dos seus trabalhos e iniciou ministrando aulas para alunos iniciantes em desenho artístico e pintura óleo sobre tela, no atelier do Leme, a boa sorte sempre esteve presente durante toda a vida do De Luna, ele diz que durante a década de setenta, obteve algumas experiências positivas nessa área de artes e cultura artística,
Estamos selecionando artistas, poetas, escritores e acadêmicos, mais informações, http://sitedoescritor.ning.com/profiles/blogs/a-academia-niteroiense-de-belas-artes-informa

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Academia Niteroiense de Belas Artes - A.N.B.A.
Criada e idealizada pelo Barão Dom Edson Carvalho De Luna Freire, carioca, nascido no Leblon, Rio de Janeiro em 1949, aos três meses de idade, foi morar em Niterói, com os seus pais Edward Valdemar De Luna Freire e Célia Carvalho De Luna, sua avó paterna, Astrogilda da Cunha De Luna Freire, que teve uma grande participação na sua infância, na educação e no desenvolvimento espiritual e intelectual, pois os pais se separaram quando tinha apenas três anos de idade, morador no Bairro de São Domingos em Niterói - RJ, na Rua Guilherme Briggs n° 3 casa 30, começando a sua trajetória estudantil, no Jardim da Infância Maria Guilhermina, hoje IEPIC. Comecei a me interessar pela arte desde o jardim da infância, pois trabalhava com macinhas coloridas, lápis de cor, tintas guaches, etc...naquela época o ensino público era muito respeitado e considerado, porque os professores eram bem remunerados e a dedicação ao ensino era por um ideal ao desenvolvimento cultural para um ser em formação ser digno quando atingisse a idade adulta, hoje em dia o desrespeito ao professor, o descaço do poder público a educação, é alarmante, como aconteceu nesta semana no ABC - paulista, um estudante de 10 anos de idade, baleou a professora com o revólver do pai que é segurança de uma empresa, e logo em seguida o menino deu um tiro na cabeça e morreu, quero dizer com isso que, se não tivermos uma atitude do poder público urgente a favor do ensino e da educação neste país, dentro de muito pouco tempo, o caos será instalado, o popular Edson Arantes do Nascimento vulgo Pelé, já falava sobre esse assunto algum tempo atrás, é preciso urgência, do poder público. ( Disse De Luna ). Aos sete anos de idade (1956), ingressou no ensino básico no Grupo Escolar Getúlio Vargas, hoje IEPIC, lembra de vários professores que teve naquela época, mas os nomes não guardou, porque era péssimo para memorizar nomes e datas, nunca foi um aluno excelente que tirava notas boas, ao contrário, sempre teve muita dificuldade para prestar atenção nas aulas, era muito disperso e gostava de brincar com os amiguinhos no horário de aula, por isso foi várias vezes chamado para conversar com a Diretora da Escola, pois ela sempre com muito carinho aconselhava-o a ser bem comportado para poder passar nas provas e logicamente de ano letivo. Completou o primário no Grupo Escolar Getúlio Vargas, em 1960, foi estudar no Colégio Batista de Niterói na Rua Visconde de Moraes no bairro do Ingá. Todos os dias antes de entrar na sala de aula, o pastor Samuel Carvalho, Diretor do Colégio Batista, sempre pregava a palavra de Cristo para conforto espiritual dos alunos, a filha do Pastor Samuel, a Denise Carvalho, foi sua colega de turma, uma aluna exemplar sempre tirava as melhores notas em todas as matérias, não era porque era filha do Diretor e sim pelo sua sabedoria e educação que desenvolvia nos estudos,muito estudiosa e dedicada.( Disse De Luna ). No ano de 1965, transferiu sua residência pára Copacabana no Rio de Janeiro, foi morar com a sua mãe Celinha, e seu padrasto Walter Araújo, logo quando chegou em Copacabana, foi estudar no Instituto Técnico Oberg, cursou Desenho de Arquitetura, Desenho de Propaganda e Publicidade e por fim Desenho Artístico, onde predominava o nú artístico, seu Mestre foi o próprio Diretor do Instituto Prof. Oberg, onde, num ambiente acolhedor muito calmo e de grande harmonia, produzia seus estudos com muito amor e satisfação, no ano de 1972, já estava expondo seus primeiros trabalhos em óleo sobre tela, na Praça Gal. Osório em Ipanema no Rio de Janeiro, precursor da feira hippye, vendia seus trabalhos em estilos figurativos, primitivos e acadêmicos, para turistas da Itália, França, Portugal e Espanha, adquirindo assim grande experiência na convivência do meio artístico e cultural na época de conflitos de gerações, mudanças políticas e agito cultural, sentiu a necessidade de participar de Salões de Premiações, foi quando selecionado para o IV Salão de Verão no Museu de Arte Moderna do RJ, e a Pré-Bienal de São Paulo e Curitiba em 1974,

Composição da Nova Diretoria Executiva ANBA

Composição da Nova Diretoria Executiva da ANBA

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Academia Niteroiense de Belas Artes - ANBA - Niterói - 2011


Olá pessoal ...!!!estou muito feliz porque acaba de nascer a Academia Niteroiense de Belas Artes - ANBA, estou saindo de uma antiga gestão e entrando em uma nova entidade que nasceu linda novinha... fofinha...é só aguardar a comemoração da Solenidade de posse em breve...bjs e abraços...!!!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Academia Niteroiense de Belas Artes - A.N.B.A.- 2011



Academia Niteroiense de Belas Artes - A.N.B.A.- 2011

Criada e idealizada pelo Barão Dom Edson Carvalho De Luna Freire, carioca, nascido no Leblon, Rio de Janeiro em 1949, aos três meses de idade, foi morar em Niterói, com os seus pais Edward Valdemar De Luna Freire e Célia Carvalho De Luna, sua avó paterna, Astrogilda da Cunha De Luna Freire, que teve uma grande participação na sua infância, na educação e no desenvolvimento espiritual e intelectual, pois os pais se separaram quando tinha apenas três anos de idade, morador no Bairro de São Domingos em Niterói - RJ, na Rua Guilherme Briggs n° 3 casa 30, começando a sua trajetória estudantil, no Jardim da Infância Maria Guilhermina, hoje IEPIC.
Comecei a me interessar pela arte desde o jardim da infância, pois trabalhava com macinhas coloridas, lápis de cor, tintas guaches, etc...naquela época o ensino público era muito respeitado e considerado, porque os professores eram bem remunerados e a dedicação ao ensino era por um ideal ao desenvolvimento cultural para um ser em formação ser digno quando atingisse a idade adulta, hoje em dia o desrespeito ao professor, o descaço do poder público a educação, é alarmante, como aconteceu nesta semana no ABC - paulista, um estudante de 10 anos de idade, baleou a professora com o revólver do pai que é segurança de uma empresa, e logo em seguida o menino deu um tiro na cabeça e morreu, quero dizer com isso que, se não tivermos uma atitude do poder público urgente a favor do ensino e da educação neste país, dentro de muito pouco tempo, o caos será instalado, o popular Edson Arantes do Nascimento vulgo Pelé, já falava sobre esse assunto algum tempo atrás, é preciso urgência, do poder público. ( Disse De Luna ).
Aos sete anos de idade (1956), ingressou no ensino básico no Grupo Escolar Getúlio Vargas, hoje IEPIC, lembra de vários professores que teve naquela época, mas os nomes não guardou, porque era péssimo para memorizar nomes e datas, nunca foi um aluno excelente que tirava notas boas, ao contrário, sempre teve muita dificuldade para prestar atenção nas aulas, era muito disperso e gostava de brincar com os amiguinhos no horário de aula, por isso foi várias vezes chamado para conversar com a Diretora da Escola, pois ela sempre com muito carinho aconselhava-o a ser bem comportado para poder passar nas provas e logicamente de ano letivo.
Completou o primário no Grupo Escolar Getúlio Vargas, em 1960, foi estudar no Colégio Batista de Niterói na Rua Visconde de Moraes no bairro do Ingá. Todos os dias antes de entrar na sala de aula, o pastor Samuel Carvalho, Diretor do Colégio Batista, sempre pregava a palavra de Cristo para conforto espiritual dos alunos, a filha do Pastor Samuel, a Denise Carvalho, foi sua colega de turma, uma aluna exemplar sempre tirava as melhores notas em todas as matérias, não era porque era filha do Diretor e sim pelo sua sabedoria e educação que desenvolvia nos estudos,muito estudiosa e dedicada.( Disse De Luna ).
Concluindo o ginásio em 1964, logo em seguida foi morar com a sua mãe Célia, em Copacabana, no Rio de Janeiro, na época da efervessência cultural dos anos 60, quebra de valores, novos conceitos, estruturas familiares e liberdade, era o que Luna queria, liberdade principalmente, Niterói já tinha ficado pequena na mente De Luna, a cidade já não tinha tanto espaço para a sua imaginação diversificada; êle queria algo novo, que surpreendesse a cada minuto a cada segundo